Aqui você encontrará as perguntas mais freqüentes organizadas por Sistemas. Buscamos ajudar os usuários com suas principais dúvidas e dificuldades na utilização e processos dos sistemas DigiSat

Sistema Gerencial G5

 

Devido a definição do Perfil V do ER-PAF-ECF 02.02: 
Se o estado for SC, sempre será emissão de cupom fiscal, ou seja, não terá NFC-e;
Se for outro estado onde o usuário não incluir uma ECF na habilitação, será automaticamente NFC-e;
Se for outro estado onde o usuário incluiu na habilitação alguma ECF, será automaticamente emissão de cupom fiscal, não terá NFC-e. 

Para que os servidores que hospedam os SISTEMAS DIGISAT possam garantir um bom nível de confiabilidade e robustez ao sistema, devem ser observados alguns aspectos, os quais se ignorados podem vir a comprometer a integridade do hardware do servidor e do banco de dados:

1 – Backup : A empresa deve possuir uma política de backup eficiente. Mesmo que nunca venha a ser usado ele é a garantia de que numa fatalidade os dados possam ser recuperados. E realmente ele é a única salvação em alguns casos, casos estes em que muitas empresas percebem que o ultimo backup realizado data de vinte dias atrás. Como solução até o momento, recomendamos um aplicativo de terceiros chamado COBIAN, onde segue link do mesmo, que pode ser salvo em qualquer local para ser configurado. http://digisat.com.br/ftp/auxiliares/aplicativos/COBIAN_cbSetup8.exe;

2 – Hardware confiável : O servidor deve ser um hardware confiável. Ele realizará o processamento de todas as estações e é nele que o banco de dados da empresa estará armazenado. Por mais caro que venha a ser um Hardware ele nunca chegara ao valor das suas informações;

3 – Uso do NoBreak : O Banco de dados é um arquivo comum como um texto do Word ou uma planilha. Como tal esta sujeito a fatores externos como raios e corte de energia. O NoBreak minimiza esses fatores para que não venha a corromper com isso;

4 – Uso indevido do servidor : O servidor deve conter apenas programas realmente necessários e que não possam estar abrigados em outras maquinas da rede. Editores de texto, Planilhas, Internet, jogos, musicas, imagens, etc devem ser hospedados em outras maquinas. Manutenções e mudanças no servidor devem ser estudadas para que não causem dano ao sistema;

5 – Confiabilidade da rede : A rede é o meio de transporte das informações. Então é fundamental que a mesma esteja confiável, aumentando a qualidade das informações e a performance do Sistema;


Os requisitos acima são fundamentais para o perfeito funcionamento do SISTEMA e de qualquer outro software. 

No menu principal do sistema G5 clique em Cadastros > Pessoas;

Na janela que abrir, que será 'PESSOAS', clique em 'F5 Incluir' , informe o nome do novo operador e em 'TIPO DE CADASTRO', marque a opção Usuário e clique em 'F7 Gravar';

Após pressione 'F12 Permissões', defina o nome de usuário e um acesso alternativo para facilitar o acesso ao sistema.

Na guia permissões, marque os quadros correspondentes aos módulos que deseja liberar ao usuário e por fim grave o cadastro.


Obs: O sistema deve ter um usuário com acesso a todos os módulos para poder ter o controle de todos os demais usuários.

IMPORTANTE: É necessário solicitar orientação contábil para definir qual a CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) correta a se utilizar.

A indicação da CFOP padrão para entrada no sistema G5 é feita pelo seguinte caminho: Auxiliares > Configurações > Entradas > 'CFOP padrão para notas de compra' (Para indicar a CFOP para compras no G5);
E no caminho Auxiliares > Configurações > Saídas > 'CFOP padrão para os produtos' e 'CFOP padrão para os serviços' (Para indicar a CFOP para vendas no G5);

Veja também na pergunta 13 como indicar o CFOP de venda/saída, no cadastro do item.

Abaixo, algumas orientações básicas a respeito de sua utilização:

VENDAS (SAÍDAS)
•VENDAS DENTRO DO ESTADO – CFOP inicia com 5
•VENDAS FORA DO ESTADO – CFOP inicia com 6
    Exceção: Se cliente não tiver IE válido ou UF diferente do Emitente, o CFOP será indicado como DENTRO DO ESTADO
•VENDAS EXPORTAÇÃO - CFOP inicia com 7
    Se cliente tiver UF = EX
OBS.: Para ECF (Cupom Fiscal) a venda sempre é considerada como DENTRO DO ESTADO e o padrão é 5.102 (mas pode ser alterado de acordo com orientação contábil).

COMPRAS (ENTRADAS)
•COMPRAS DENTRO DO ESTADO – CFOP inicia com 1
    Exemplo: Quando a nota do fornecedor vier com CFOP 5.101 trocar para 1.102
Substituição Tributária
    Exemplo: Quando a nota do fornecedor vier com CFOP 5.401, 5.403 ou 5.405 trocar para 1.403
•COMPRAS DE FORA DO ESTADO – CFOP inicia com 2
    Exemplo: Quando a nota do fornecedor vier com CFOP 6.101 ou 6.102 trocar para 2.102
Substituição Tributária
    Exemplo: Quando a nota do fornecedor vier com CFOP 6.401, 6.403 ou 6.405 trocar para 2.403
Demais CFOPs a troca é idêntica.
    Exemplo: Se nota vem com 5.921, deve-se dar entrada como 1.921.
•COMPRAS DE IMPORTAÇÃO – CFOP inicia com 3
   UF=EX

No módulo Cadastros > Pessoas > Tipo de cadastro é necessário definir no campo Limite de crédito

Para que o sistema possa obedecer ao limite de crédito nas vendas a prazo a este cliente.

Preenchendo esta opção o sistema permitirá que o cliente realize compras a prazo, e também impedirá a venda a prazo quando o cliente não tiver mais saldo disponível.

O programa validador ECF contempla a lista de códigos, que está disponível para download no link a seguir, então para saber qual é o código correto para sua ECF, deverá na listagem, encontrar a marca, modelo e versão da epron da sua impressora (Geralmente no final de um cupom ou leitura X)  e verificar os 6 dígitos da identificação (marca, modelo e versão epron) e preencher em Saídas > Ponto de vendas > Código Nacional.

http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/ecf/informacoes/tabcniee.pdf

Com o Sistema G5 aberto, vá até Auxiliares > Configurações > Saída > Saída - Servidor > Marque a opção "Imprimir o carnê na venda a prazo", sendo que para uso com ECF, precisará ter o relatório gerencial cadastrado na impressora fiscal, chamado PARCELAMENTO.

Motivo por bloquear a alteração do tanque após seu cadastro ser concluído é referente a uma restrição do PAF-ECF que seria a seguinte:
REQUISITO XLI 
1. O PAF-ECF para uso por posto revendedor de combustivel deve:
a) Assegurar que os dados referentes ao número do tanque ou reservatório de combustível, da bomba de combustível e do bico de abastecimento somente serão modificados e excluídos mediante intervenção do responsável legal pela empresa desenvolvedora ou por seus prepostos, vedando-se ao usuário esta função, exceto no caso de desenvolvedor para uso exclusivo. Para assegurar este requisito, os dados deverão ser gravados em arquivo auxiliar na forma a que se refere os itens 4 e 5 do requisito XXIV.

O item é impresso no cupom no exato momento em que é registrado no sistema, ou seja, para atribuir uma quantidade diferente de um é necessário executar o procedimento abaixo antes de registrar o produto:

a) Com o PDV em execução, abra o cupom em (F4 - Abrir Documento Fiscal)

b) No espaço onde o produto é registrado, informe a quantidade seguida do sinal de multiplicação(*) e o código/barras do produto a ser vendido e pressione a tecla "Enter".. Exemplo: 12*1

Neste momento, será lançado em tela o item desejado com a quantidade inserida.

Quando necessário dar um desconto ou acréscimo, tanto no total do cupom quanto no total do item, informe o valor ou o percentual, seguido do sinal correspondente ao tipo de operação que deseja fazer, (-) para desconto (+) para acréscimo.
Caso opte por dar um desconto ou acréscimo em percentual devesse atribuir o sinal (%) seguido do sinal correspondente a operação desejada.
Exemplos: 10,00%- 10,00%+ ou 10,00- 10,00+

IMPORTANTE: Para aplicar um desconto\acréscimo no item, deve-se primeiro selecionar o item no qual deseja atribuir o desconto\acréscimo, porém algumas impressoras fiscais só aceitam aplicar no último item até então lançado no cupom fiscal, outras aceitam aplicar em qualquer item independente da ordem de lançamento.

Deverá entrar em Saídas> Ponto de vendas> Pressione CTRL + F12 e entrando em cada uma das opções;

Basta pressionar Enter, onde o sistema automaticamente irá cadastrar as espécies, relatórios e totalizadores padrões para uso do ECF.

OBS: Necessário efetuar este procedimento, apenas na primeira execução do ponto de venda, ainda com o dia fechado na ECF.

 

Deverá executar o arquivo chamado Instalador.vbs, que consta no cd-rom do sistema ou em C:\InstallG5, onde ele verificará qual versão do NetFramework está instalado e instalará o necessário para o funcionamento do sistema.


Deverá abrir Cadastros >> Produtos e Serviços> Editar o item e ir na Aba produtos >>  no botão reticências do campo "Tributação Estadual (CST, Base de Cálculo, Alíquota)" >>  Adicionar ou Editar, indo na aba Percentuais Estaduais, onde o CFOP ficará vinculado ao CST da UF.

Então Adicionar ou Editar >> no botão reticências do campo "Grupo Situação Tributária - Agrupamento de informações vinculadas ao CST" >> Adicionar ou Editar, então terá a informação do CFOP para definir como padrão no item.

Segue abaixo o padrão para os relatórios gerenciais para cada segmento que devem ser cadastrados na lacração do ECF:

Relatórios gerenciais Posto de combustível
RELATÓRIO GERAL
IDENT. PAF-ECF
CARTAO
CONTRA VALE
PARCELAMENTO
PARAM. PAF-ECF
TURNOS
RECEBIMENTOS
SERIAIS VENDIDO
AFERICAO DE BIC
PERDA COMUNIC.
RETORNO COMUNIC
SEM COMUNICACAO
ABAST. PENDENTE
CONTR. ENCERRA.
PERDA COMBUST.
DANFE NFC-E
EST. FIS. COMB.
DESCON. ENCER.
CANC. ABAST.

Relatórios gerenciais Comércio
RELATÓRIO GERAL
IDENT. PAF-ECF
CARTAO
DAV-PEDIDO
DAV-OS
CONTRA VALE
PARCELAMENTO
PARAM. PAF-ECF
TURNOS
RECEBIMENTOS
SERIAIS VENDIDO
DANFE NFC-E

Relatórios gerenciais Restaurante (MESAS):
RELATÓRIO GERAL
IDENT. PAF-ECF
CONFER MESA
TRANSF MESA
MESAS ABERTAS
CARTAO
CONTRA VALE
PARCELAMENTO
PARAM. PAF-ECF
TURNOS
RECEBIMENTOS
SERIAIS VENDIDO
DANFE NFC-E

Relatórios gerenciais Restaurante (CONTA CLIENTE):
RELATÓRIO GERAL
IDENT. PAF-ECF
CONFER CONTA CL
TRANSF CONTA CL
CONTA DE CLIENT
CARTAO
CONTRA VALE
PARCELAMENTO
PARAM. PAF-ECF
TURNOS
RECEBIMENTOS
SERIAIS VENDIDO
DANFE NFC-E

Espécies
DINHEIRO
CARTAO(Cadastrar como vinculado)
PRAZO
CHEQUE
VALE
CONVENIO
CARTAO POS

Totalizadores não fiscais
SANGRIA
SUPRIMENTO
RECEBIMENTOS

Se está sendo utilizado a mesma tributação para todos os itens, será necessário, alterar apenas uma vez este cadastro, pois irá assumir para os demais itens que utilizam a mesma tributação.

Deverá abrir Cadastros >> Produtos e Serviços> Editar o item e ir na Aba produtos >> no botão reticências do campo "Tributação Estadual (CST, Base de Cálculo, Alíquota)" >> Adicionar ou Editar, indo na aba Percentuais Estaduais
onde deverá cadastrar tanto para o estado do emitente, quanto para o estado do cliente, seguindo se o mesmo é 'Contribuinte' ou 'Não contribuinte'. E após criar uma tributação correta, clicar no ícone com 2 quadrados ou CTRL+R, para replicar para as demais classificações.

Primeiramente entrará no cadastro de pessoas, efetuará um novo cadastro para a administradora do cartão, preenchendo o CNPJ da mesma em documentos (exemplo CIELO) e na guia 'Tipo de cadastro', marcar a opção 'Administradora de cartão' e cadastrar as bandeiras, por exemplo:

Código de Referência Credenciadoras Tef Dedicado:

Referência Descrição
00000         Outra, não definida
00001         Tecban
00004         Visanet - Especificação 200001
00005         Redecard
00006         Amex
00021         Banrisul
00031         Ticket combustível
00082         GetNet
00125         Visanet – Especificação 4.1 *Utilizada na homologação para Cielo

Referência Credenciadoras Tef Discado (Nome da Rede):

Referência(Cadastrar) Descrição
VISANET-----------------------VISA
HCARD-------------------------HIPERCARD
AMEX--------------------------American Express
REDECARD--------------------Redecard/MasterCard
BANRISUL---------------------Banrisul
TECBAN-----------------------Tecban
CSHOP-------------------------Credi-shop
GETNET------------------------GETNET
TRIBANCO--------------------TRICARD/TRIBANCO
POLICARD---------------------POLICARD
FANCARD---------------------FANCARD
BANCRED---------------------BANCRED
BCARD-------------------------BANESE CARD
ACCORD-----------------------ACCORD
COOPERCR-------------------COOPERCRED
ORGCARD--------------------ORGCARD
VLCARD-----------------------VALECARD
PREMMIA--------------------PREMMIA
NEUS--------------------------NEUS
CERTIF------------------------CERTIFICAÇÃO

Para POS, caso seja ECF, após deverá entrar em Saídas> Ponto de vendas> Pressione CTRL + F12 e entre em espécies, onde cadastrará CARTAO POS pressionando Enter nessa tela e com isso, após finalizar no PDV, pressionar a letra "O" de outros e escolher a bandeira desejável.

Mas caso seja na NFC-e, deverá entrar em financeiro> Espécies de Pagamento, onde cadastrará CARTAO POS e com isso, após finalizar no PDV, pressionar a letra O de outros e escolher a bandeira desejável.

***Na questão das bandeiras, caso ocorra erro ao finalizar a transação, tanto sendo tef dedicado ou tef discado, deverá cadastrar a rede com o mesmo nome que aparece na tela do sistema, quando cancela a transação, considerando maiúsculas e minúsculas, conforme exemplo abaixo.

http://www.digisat.com.br/ftp/atendimento%20online/especie.jpg

Para o funcionamento correto do sistema, com o ramo Posto de combustível, a bomba de combustível deverá estar configurada com 3 casas decimais após a vírgula, tanto na quantidade quanto no preço unitário, também o mesmo, para o concentrador, que deve estar configurado para receber a informação das 3 casas decimais e a ECF lacrada com 3 casas decimais, tanto na quantidade quanto no preço unitário.

Isso ocorre porque a nota já foi Concluída, então deverá selecionar a nota na listagem e pressionar CTRL+F12 e na tela que aparecer; Pressionar CTRL+F5, ou clique no sinal de mais (+) logo abaixo e incluir uma nova situação como Cancelado, onde o sistema irá lhe questionar se deseja editar a nota cancelada, se clicar em SIM, o sistema cancelará está nota e fará um espelho da mesma, para poder alterar o que for necessário antes de finalizar novamente. Mas se clicar em NÃO, apenas ficará com a nota de compra cancelada.

Deverá abrir Cadastros > Pessoas > Editar a ficha do emitente e preencher o CEP principalmente e demais dados de endereço e nos documentos preencher os 4 necessários, CNPJ não altera, pois já está cadastrado, preencher com IE, RM (Registro municipal) e CNAE, os dados que não tiver em mãos, verificar junto a contabilidade do cliente.

Primeiramente entre no cadastro de 'PESSOAS', localize a ficha do operador do sistema e ainda na listagem, pressione 'F12-Permissões', nas permissões de acesso do usuario do sistema, marque em 'Movimentação de saída' a opção 'Vender para inadimplente'

Precisará copiar ambos os bancos de dados, das pastas:
 C:\DigiSat\SuiteG5\Servidor\Dados e
 C:\DigiSat\SuiteG5\Sistema\Dados, também arquivo 'Info.sv5' e 'Nfe' da pasta Servidor e 'Fiscal' da pasta sistema;

Desinstalar pelo uninstall de ambas as pastas;
Apagar manualmente a pasta SuiteG5;

Reinstalar o serviço e sistema;
Após voltar arquivos, pastas e também as bases de dados, então apagar pasta TMP do C: antes de reabrir servidorG5 e sistema novamente.

OBS: Sempre reinstalar o sistema com o mesmo instalador da release atual ou mais recente.

Código de barras: 2000045002259
2000045 = o número 45 seria o código interno do produto, não seria o ID
002259 = significa que o preço do produto é R$ 2,25

Para o sistema G5 fazer a venda do produto através desse código de barras da etiqueta da balança é necessário.
Cadastro do produto:
Que o produto esteja com o código interno  = 45
Marcar opção como Pesável
Unidade de Medida  = Quilograma.

Configurações do sistema:
Entrar em Auxiliares> Configurações > Cadastros > Informação no codigo de barras =  Preço com duas casas decimais.

A principio pode parecer, que trata-se apenas de uma atualização a ser feita, porém o Sistema G5 é um novo sistema,
totalmente reescrito onde deverá ser instalado, conforme passos do seu tutorial: www.digisat.com.br/ftp/manuais/G5/ManualGG5_Completo.pdf e veja também o video do tutorial de instalação e habilitação do mesmo: https://www.youtube.com/watch?v=_plsPOIjiJc

Onde é possível fazer a conversão de dados gratuitamente baixando o conversor e seguindo os passos do manual. Caso precisar podemos fazer esse serviço, contratando nosso serviço de conversão.
http://www.digisat.com.br/ftp/manuais/G5/Manual_Conversor_G5.pdf

O e-mail deve ser configurado nas configurações do ServiçoG5 > na guia Email.

Provedor de e-mail: HOTMAIL
Servidor SMTP: smtp.live.com
Porta: 587
Usa SSL: Marcado
Usuário: seuemail@hotmail.com

Provedor de e-mail: GMAIL
Logado na conta do Gmail, clique em 'Ativar' para a opção de Acesso a aplicativos menos seguros no link: https://www.google.com/settings/security/lesssecureapps

Servidor SMTP: smtp.gmail.com
Porta: 587
Usa SSL: Marcado ou Desmarcado
Usuário: seuemail@gmail.com

Provedor de e-mail: YAHOO
Logado na conta do Yahoo clique em 'Ativar' para a opção de Métodos de acesso a aplicativos menos seguros no link: https://login.yahoo.com/account/security?.intl=br&.lang=pt-BR&.scrumb=QXRHKzqgJea

Servidor SMTP: smtp.mail.yahoo.com.br
Porta: 587
Usa SSL: Marcado
Usuário: seuemail@yahoo.com.br

Lembrando de deixar firewall do Windows e antivírus desativados, pois podem bloquear o envio.

Deverá abrir Cadastros >> Produtos e Serviços >> Editar o item e ir na Aba produtos >> no botão reticências do campo "Tributação Estadual (CST, Base de Cálculo, Alíquota)" >> Adicionar ou Editar, indo na aba Percentuais Estaduais, onde deverá cadastrar para o estado do destinatario da nota, uma tributação com CFOP para fora do estado, sendo uma cfop que inicie com 6 (seis), exemplo 6102.

Caso contrário, pode ter sido informado uma CFOP iniciada com 6 e UF do emitente e UF do destinatario, seriam a mesma, onde a nota seria para dentro do estado com CFOP iniciada em 5.

SAT-CF-e - Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos
Na prática o SAT é um módulo composto de hardware e software, responsável pela autorização do Cupom Fiscal Eletrônico e pela posterior transmissão dos cupons via internet para o ambiente da SEFAZ. Onde é necessário adquirir um aparelho SAT (equipamento externo, visível ao consumidor e ao fisco), impressora não fiscal para impressão do cupom fiscal eletrônico e também há dois tipos de certificado digital do equipamento SAT:

– Emitido pela SEFAZ (sem custo de aquisição para o contribuinte), ou
– Emitido por Autoridade Certificadora da cadeia ICP-Brasil (aquisição por conta do contribuinte)


NFC-E - Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica
A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, foi criada com o objetivo de aprimorar o modelo atual de controle das operações do varejo, sendo uma alternativa de escrituração totalmente eletrônica para substituir o cupom fiscal e a nota fiscal modelo 2 e compartilha os mesmos padrões tecnológicos da NF-e, porém necessitando apenas do certificado digital e impressora não fiscal para impressão da DANFE NFC-e.

Ao retornar a rejeição portalfiscal.inf.br/nfe: cEAN, está acusando problema com o código de barras dos itens, onde se está no padrão EAN13 deve ser barras válidas, não criadas manualmente, caso não sejam válidas, apagar o conteúdo desse campo e mudar padrão barras para GTIN, reabrir o modulo de vendas, editar a nota rejeitada, excluir os itens e lança-los na nota novamente.

Deverá primeiramente confirmar se o cliente é realmente isento de IE, então não deverá conter o campo de IE na ficha do cliente, caso já tenha incluído esse tipo de documento, pode mudar o tipo para outro qualquer, podendo deixar como ISENTO, apenas para não rejeitar na NFe e para que não ocorra problemas nos arquivos fiscais.

Já na guia principal alterar campo classificação para Não Contribuinte ou Público, caso seja um órgão público como prefeitura, etc... Após reabrir módulo de Saída, editar a nota e relançar o cliente.

Caso não seja isento, confirmar o IE e preencher corretamente no campo, deixando como Contribuinte a classificação.

No G5, por exigência fiscal, o campo é atualizado automaticamente ao efetivar uma movimentação com notas de entrada(Nota Fiscal de compra) e saída (Emissão de NF-e, NFC-e, cupom Fiscal e SAT-Fiscal) ou no primeiro cadastro do produto, antes de gravar, quando cadastrado direto pelo G5. Não tendo como editar manualmente o campo.
Itaú - Cnab 400
HSBC - Cnab 400
Bradesco - Cnab 400
Banco do Brasil - Cnab 240 e Cnab 400
Caixa - Sicob e Sigcb Cnab 240
Banrisul - Cnab 400
Santander - Cnab 240
Sicoob - Cnab 400
Sicredi - Cnab 240
Para alterar deverá entrar em contato com a assistência técnica autorizada da sua impressora fiscal.
Isso ocorre porque a impressora fiscal permite cancelar somente se o ultimo impresso que foi emitido por ela, tenha sido o cupom fiscal com numero de COO e quando finaliza no prazo, convênio ou tef, ele imprime um relatório gerencial não fiscal depois do cupom que também utiliza um numero de COO, por isso não cancela pois o ultimo impresso não foi o cupom fiscal.

Ao rodar a atualização de release 1.0.13.0, no sistema terá o campo para preencher a informação do CEST para identificação das mercadorias sujeitas a substituição tributária através do Convênio ICMS 146/2015 do CONFAZ na emissão dos documentos fiscais, onde o operador deve preencher o código CEST referenciando-o com o NCM do produto e com auxilio de sua assessoria contábil.

A obrigatoriedade para informar o CEST nos documentos fiscais foi prorrogada para 1º de Outubro de 2016

http://www.spedbrasil.net/forum/topics/cest-prorrogacao-convenio-icms-16-2016-de-24-03-2016

A consulta do CEST pode ser feita utilizando o NCM do produto, pelo site:

http://www.codigocest.com.br/cest/consultar

Para importação do arquivo ABC Farma no sistema G5, primeiro tenha certeza de baixar a tabela da ABC Farma compatível com o sistema G5 e a tabela deve ser com extensão DBF, contendo somente a alíquota específica do estado da empresa usuária do sistema. Caso baixar a tabela contendo todas as alíquotas não será importado.

Dentro de Servidor G5, entre em Configurações >> ABC Farma e selecione a tributação estadual para as outras empresas e o Diretório onde a tabela ABC Farma ficará salva para importação.

A importação é feita dentro do Sistema G5 >> Cadastros >> Produtos e Serviços >> Ctrl + I "Importar tabela ABC Farma, que será mostrada quando já estiver habilitado para o ramo de farmácia e com permissão de acesso ao módulo".

Para as parcelas irem para o contas a receber (módulo recebimentos) do sistema, terá que finalizar na espécie Prazo, com a opção de imprimir também o carnê se desejar, seria uma opção de venda onde o cliente final vem até a loja para pagar cada parcela, criada na venda.

Já no cartão(POS ou TEF), o cliente fica devendo as parcelas para a operadora, Mastercard por exemplo e a loja terá o comprovante de venda no cartão, para receber da operadora o valor, tanto é que entrará no caixa do sistema como a vista essa venda finalizada no cartão TEF ou POS.

O sistema permite enviar nota conjugada(produto e serviço) porém é enviado a nota ao Sefaz, nada é enviado a prefeitura do município, isso pode ser feito se o seu município tem convênio com o estado, para que possa repassar o tributo do ISS para o município, caso contrário, terá que transmitir as notas pelo site da prefeitura.

Pois pelo sistema não terá como emitir NFS-e porque cada prefeitura tem um modelo diferente, no sistema teria apenas o modulo para lançar a nota de serviço, já transmitida anteriormente pelo site da prefeitura, para que possa ser gerado o controle financeiro. Seria em saídas> movimentações de saída> F12 Incluir nota fiscal de serviço, preenchendo conforme a nota gerada.

Para lançar as notas manuais no PDV, estando com a ECF em comunicação com o sistema e com o dia aberto, pressione as Teclas Ctrl + F2 que ativará a opção para lançamento de nota manual.

Onde pode verificar no rodapé do PDV, que em alguns casos é preciso ocultar a barra do Windows para conseguir ver a tarja vermelha, que acusa que está no modo de nota manual, após informar o numero da nota manual e pressionar F4 para abertura do cupom e lançar os itens em sequência, então sairá um cupom fiscal no dia atual, com o numero da nota manual nas observações.

OBSERVAÇÃO: Para os estados de ES e PB, por serem perfil Y, precisam estar com o dia fechado no PDV e indo em Saídas > Movimentações de Saídas > Acessar pela tecla de atalho “Ctrl+2”.

Requisito referente a emissão da Nota manual pelo PDV para os perfis W (exigido) e X (aceito).

Lista de perfil definidos pra cada estado: Fonte: http://www1.fazenda.gov.br/confaz/confaz/atos/despacho/2014/dp162_14.htm

Acesse o Requisito XVI da legislação do estado de MG: Fonte: http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/legislacao_tributaria/portarias/2014/port_subsec132_2014.htm#p132_anexo_i

Deverá entrar em Auxiliares> Configurações> Saídas> Marcando a opção "Solicitar atendente do início do cupom fiscal", com isso ao abrir o cupom em F4, o vendedor já será indicado nos itens vendidos para que possa gerar a comissão e para que o atendente seja impresso no cupom fiscal.

O sistema G5 possui a opção de carta de correção, que permite à empresa gerar documentos de correção referenciando as NF-e que necessitam de ajustes. A carta de correção é permitida somente quando o erro no documento original não esteja relacionado com:
• As variáveis que determinam o valor do imposto;
• Com os dados do remetente e destinatário ou;
• Com a data de emissão ou saída.

As regras para emissão:
- Cada NF-e pode ter até 20 CC-e referenciadas, ou seja, 20 sequências. - Permitido referenciar apenas uma NF-e por CC-e (1 – 1). - Apenas a última CC-e transmitida, por NF-e, pode ser impressa. - Ao fazer uma CC-e de uma NF-e que já tenha uma ou mais CC-e referenciadas, o texto das CC-e anteriores será apresentado. - Se uma CC-e não for transmitida, não poderá fazer nova CC-e da mesma NF-e sem transmitir a anterior. - Layout de impressão não parametrizado pela legislação. Não editável. - Não é possível emitir CC-e para NF-e não transmitidas, rejeitadas, canceladas ou inutilizadas.

Sobre o fundamento legal para emissão da emissão da Carta de Correção Eletrônica: - Ajuste SINIEF 01/07 – Que prevê a utilização da Carta de Correção; - Parágrafo 7° da cláusula Décima Quarta-A do Ajuste SINIEF 07/05 que prevê a CC-e. - RICMS’ s dos Estados

A CC-e é feita pelo seguinte caminho, Deverá selecionar a nota já Concluída na listagem e pressionar CTRL+T, ou no ícone abaixo, correspondente a Carta de Correção, então na tela que aparecer; Pressionar o sinal de + e informar o motivo da correção no campo Descrição (Deve ter no mínimo 15 caracteres e específicar de forma clara o motivo da correção), após clicar em F7-Gravar e F9-Enviar, então já pode Imprimir para anexar a NF-e e/ou enviar por email, sendo que se o email já está configurado no serviçoG5 será enviado automaticamente.

DEVOLUÇÃO DE CLIENTE
A forma legal de fazer isso no sistema, seria lançar uma NF-e em Entradas, indo em Entradas > Movimentações de entrada > F10 Incluir nota fiscal > no campo finalidade e natureza de operação escolher "Devolução", com isso a listagem de clientes será carregada, então no campo cliente indique o cliente que está devolvendo a mercadoria, sendo que, caso não tenha o mesmo cadastrado, teria que cadastrá-lo, após na guia informações gerais > campo movimentações referenciadas > indicar esse cupom ou nota fiscal que está sendo devolvido e nos itens que serão carregados, informar o CFOP de devolução conforme o contador do cliente repassar, sendo que deve estar como Entrada, para que o produto volte para o estoque, um detalhe, quando define essa finalidade, todos os campos de valores são de preenchimento manual, se alterar qualquer valor os totais terá que calcular manualmente.

No caso de troca, seria o mesmo processo, onde a venda do outro item que o cliente irá levar, seria uma venda normal a ser feita. Já sobre o tributo do cupom ou nota devolvida, terá que verificar com a contabilidade como deve proceder.

DEVOLUÇÃO AO FORNECEDOR
A forma legal de fazer isso no sistema, seria lançar uma NF-e de saída, indo em Saídas > Movimentações de saída > F5 Incluir nota fiscal > no campo finalidade e natureza de operação escolher "Devolução", com isso a listagem de fornecedores será carregada, então no campo Cliente indique o Fornecedor, após na guia informações gerais, campo movimentações referenciadas, indicar a nota a ser devolvida e nos itens que serão carregados, informar o CFOP de devolução conforme o contador do cliente repassar, que deve estar como Saída para que o item seja baixado do estoque, sendo que quando define essa finalidade, todos os campos de valores são de preenchimento manual, se alterar qualquer valor os totais terá que calcular manualmente.


Caso ainda esteja dentro do prazo de 24 horas da autorização da nota, deverá selecionar a nota na listagem e pressionar CTRL+F12, na tela que aparecer; Pressionar CTRL+F5, ou clique no sinal de mais(+) logo abaixo, onde deverá incluir uma nova situação como Cancelado, juntamente com a justificativa de cancelamento de no mínimo 15 caracteres que deverá preencher no campo Observação, onde o sistema irá cancelar está nota no sistema e também no SEFAZ.
Erro ao processar retorno de cancelamento. "ERRO AO PROCESSAR RETORNO DE CANCELAMENTO, NÃO FOI POSSÍVEL CANCELAR NOTA FISCAL, REJEIÇÃO: PEDIDO DE CANCELAMENTO PARA NFE COM CTE OU MDFe"

Esse retorno seria da própria SEFAZ, já que a legislação diz que é possível ser cancelado a NF-e desde que ela não tenha saído do estabelecimento, (circulado), o fisco entende que se foi emitido um CT-e e relacionado a uma NF-e, seria porque tudo está correto para circulação dessa mercadoria e que ocorreu o fato gerador. Na prática sabemos que não é bem assim, mais agora temos que nos preocupar de somente contratar uma transportadora, relacioná-la e transmitir a NF-e depois que tudo realmente estiver certo para saída da mercadoria, ou seja, depois de autorizada a nota, com um CT-e relacionado não pode ser mais cancelada.

É acrescentado a letra, quando o código interno ou o código de barras desse novo item já foi utilizado, caso não queira que a letra seja adicionada, deverá verificar qual o último (maior) código interno utilizado, para dar sequência.

Entre no cadastro de 'PESSOAS'> Localize a ficha do emitente> edite e defina no campo de imagem a direita da tela, porém como a logomarca ocupará todo o espaço do quadro na danfe, recomendasse que na própria logomarca, contenha os dados de endereço, telefone, etc.

A dimensão recomendada e que foi efetuado o teste, para que não fique desconfigurado, seria 1200 de largura por 60 de altura.

Algumas ECF's exigem que o cliente seja informado antes da abertura do cupom, por isso, pode estar marcando a opção em auxiliares> Configurações> Saídas> Solicitar cliente no inicio da venda, ou pressionar F3 para cliente cadastrado ou F3F3 para cliente não cadastrado, antes de clicar em F4 para abrir cupom.

Caso contrário, os dados do cliente em uma venda, não estão sendo impressas, porque a impressora não dispõe mais de espaço após o cupom fiscal para imprimir esses dados.

Para mudar a alíquota do simples nacional, deverá abrir Cadastros > Produtos e Serviços > Editar o item e ir na Aba produtos > no botão reticências do campo "Tributação Estadual (CST, Base de Cálculo, Alíquota)" > Adicionar ou Editar. Indo na aba Percentuais Estaduais, incluir ou editar e ir no campo Grupo situação tributária - CSOSN, incluir ou editar e alterar em Percentual de ICMS> preenchendo no campo Percentual de crédito de ICMS.
Os XML's são gerados em pastas separadas, em C:\Digisat\SuiteG5\Servidor\Nfe\CNPJ DO EMITENTE\Enviado\NFe\Autorizados e C:\Digisat\SuiteG5\Servidor\Nfe\CNPJ DO EMITENTE\Enviado\NFCe\Autorizados. Sendo que são gerados 2 arquivos com extensões diferentes para cada nota.
Somente os Cupons Fiscais Eletrônicos emitidos nos últimos 30 minutos podem ser cancelados.

O processo de cancelamento é similar ao processo de emissão, ou seja, as informações sobre o cancelamento são informadas pelo sistema e enviadas ao equipamento SAT, que automaticamente emite o Cupom Fiscal Eletrônico de Cancelamento.

Pelo sistema deverá entrar no ponto de vendas, teclar F6, filtrar pelo número ou cliente do SAT, selecionar e teclar F2.

O pedido da inutilização de numeração de NFe/ NFCe tem a finalidade de permitir que o emissor comunique a SEFAZ, quais os números de NFe/ NFCe que não foram utilizados em razão de ter ocorrido uma quebra de sequência da numeração da NFe/ NFCe.

Exemplo: a NFe/ NFCe n° 100 e a n° 110 foram emitidas, mas a faixa 101 a 109, por motivo de ordem técnica, não foi utilizada antes da emissão da n° 110, sendo necessário inutilizar a numeração.

No sistema irá em Auxiliares> Inutilizações, incluindo um novo registro, informe o Modelo (55 para NFe e 65 para NFCe), Série e Ano (ano apenas com os dois últimos dígitos). E por fim digite a justificativa, a qual deve ter no mínimo 15 caracteres.

Quando uma nota submetida à Secretaria da Fazenda não é aprovada, ela pode ser classificada como rejeitada ou denegada. Entenda a diferença entre elas:

- Uma Nota é Rejeitada quando contém erros nas informações de faturamento, quando a empresa não está cadastrada como emissora de NF-e ou quando a sua assinatura digital está corrompida. Inconsistências no cadastro do estoque e de clientes das empresas emissoras são as principais causas de rejeições de NF-e. Esta nota poderá ser corrigida e submetida novamente à SEFAZ, utilizando-se a mesma numeração de nota, já que uma nota rejeitada não é registrada na base de NF-e’s da Secretaria da Fazenda. A reapresentação de uma nota já submetida e autorizada anteriormente, também irá resultar em rejeição, neste caso por duplicidade de NF-e.

- A denegação de uma NF-e ocorre quando o emissor e em alguns casos o destinatário também, apresentam pendências fiscais perante a Secretaria da Fazenda do seu estado, geralmente por não cumprimento nas entregas de obrigações acessórias previstas na legislação. Neste caso a empresa estará impedida de faturar até que ela regularize sua situação fiscal.

Diferente da situação de rejeição, NF-e’s denegadas são registradas na base da SEFAZ, impedindo a reutilização daquela numeração de NF-e posteriormente. Tendo que verificar junto a contabilidade do cliente, como proceder legalmente com essa nota. Pois no sistema quando isso ocorre, automaticamente os itens e o financeiro da nota, são retrocedidos.

Primeiramente deverá definir a classificação do produto, na guia Mercadorias como 'Grade', ainda na inclusão do produto no estoque e após indo em cadastros> Grades, incluir um novo registro, definindo o nome para a grade e nas demais guias montar as linhas e colunas, exemplo, criaria a linha como COR e a coluna como TAMANHO, após para definir está grade ao item, vá na ficha do produto, guia Mercadorias, clicar no botão com as reticências ao lado do campo 'Cadastro de grades' e fazer a indicação da grade cadastrada.

Então ao comprar e vender este item, irá mostrar está mesma grade para indicar a quantidade que deseja, para que entre no estoque com a compra e para que saia do estoque com a venda.

Também pode ver a explicação com as imagens no tutorial completo do G5 na pagina 81 sobre CRIANDO E SELECIONANDO A GRADE.

http://www.digisat.com.br/ftp/manuais/G5/ManualGG5_Completo.pdf

Deverá entrar em Saídas> Movimentações de saída> selecionar a nota na listagem e pressionar CTRL+F12 e na tela que aparecer;

Pressionar CTRL+F5, ou clique no sinal de mais logo abaixo e incluir uma nova situação como Concluído e preencher na observação OK e gravar, confirmando a mensagem se deseja finalizar a movimentação.

O mesmo procedimento seria feito também para transmitir NFC-e's que foram lançadas em contingência, estando dentro do prazo de 24 horas para transmissão.