DÚVIDAS SOBRE PRODUTOS E SERVIÇOS

Utilize o campo abaixo para digitar sua dúvida ou consultar perguntas mais frequentes.

    Para cadastrar um usuário acesse o menu Cadastros> Usuários. A tela de Inclusão e Edição de Usuário, permite a inclusão de um novo usuário, fazer a vinculação do usuário a um perfil de permissão e também, quais as empresas que o usuário poderá ter acesso. Também permite fazer alteração nos dados do usuário, alterar o perfil de permissão do usuário e também as empresas a quais ele terá acesso. O Sistema somente irá permitir a gravação do usuário (Inclusão ou Edição), quando todos os dados que ele necessitar, serem preenchidos. A tela de Usuários, tem sinais (Comandos Padronizados), que avisa a falta de dados.

    O e-mail deve ser configurado em: Auxiliares> Configurações> Auxiliares.

    Provedor de e-mail:

    Hotmail: Servidor SMTP: smtp.live.com Porta: 587 Usa SSL: Marcado Usuário: seuemail@hotmail.com

    Gmail: Logado na conta do Gmail, clique em Ativar para a opção de Acesso a aplicativos menos seguros no link: https://www.google.com/settings/security/lesssecureapps Servidor SMTP: smtp.gmail.com Porta: 587 Usa SSL: Marcado ou Desmarcado Usuário: seuemail@gmail.com

    Yahoo: Logado na conta do Yahoo clique em Ativar para a opção de Métodos de acesso a aplicativos menos seguros. Servidor SMTP: smtp.mail.yahoo.com.br Porta: 587 Usa SSL: Marcado Usuário: seuemail@yahoo.com.br

    Lembrando de deixar firewall do Windows e antivírus desativados, pois podem bloquear o envio.

    O sistema instala automaticamente a versão correta para o funcionamento do sistema. Windows 32bits: Versão 3.2 / Windows 64bits: Versão 3.4.3.

    O programa validador ECF contempla a lista de códigos, que está disponível para download no link a seguir, então para saber qual é o código correto para sua ECF, deverá na listagem, encontrar a marca, modelo e versão da epron da sua impressora (Geralmente no final de um cupom ou leitura X) e verificar os 6 dígitos da identificação (marca, modelo e versão epron) e preencher em Auxiliares> Configurações> Periférico> Emissor Cupom Fiscal> Código Nacional de identificação. http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/ecf/informacoes/tabcniee.pdf

    No módulo de Balancetes, iremos visualizar os valores, que foi movimentado em cada Conta, do Plano de Conta, e também em cada Centro de Custo. Os valores do balancete, refere-se a valores recebidos e pagos dentro do período selecionado. O balancete contempla, somente valores financeiro (pagamentos e recebimento), e tem objetivo de ser um balancete gerencial, e não contábil. Os valores mostrados no balancete, contempla o pagamento e recebimento de valores, independente da Conta financeira (Conta Caixa e/ou Contas Bancarias), que seja usada para recebimento ou pagamento. Os valores que irão compor o balancete, serão alimentados de pelo recebimento de parcelas, nos módulos de Contas a Receber e PDV, pelo pagamento de parcelas no módulo de Contas a Pagar, e também pelos lançamento feitos de forma manual no módulo de Movimentações da Conta. 

    O cadastro de cálculos de preço de venda, será acessado no momento do cadastro do produto ou serviço. O acesso a este módulo será feito pela Guia Preços, na tela de cadastro de produtos e serviços. No módulo de cálculos de preço de venda, será cadastrado os índices e a forma da precificação para os produtos e serviços. Os cálculos de preço de venda podem ser incluídos, no momento do cadastramento do produto ou serviço, caso ela ainda não esteja cadastrado. Caso já esteja cadastrado, basta selecioná-lo para que seja associado ao cadastro do produto ou serviço. É muito importante associar uma forma de cálculo de preço de venda no produto, pois será esta associação, que fará com que o sistema possa ajustar o preço venda do item, tendo como base o preço de custo e o índice para preço de venda. Este ajuste poderá será feito ao finalizar uma Nota de Compra, ou qualquer.

    Itaú400
    HSBC400
    Bradesco400
    Banco do Brasil240 e 400
    Caixa240
    Banrisul400
    Santander240
    Sicoob240 e 400
    Sicredi240


    Acesse o menu Auxiliares> Campos Personalizados. Neste módulo serão criados campos personalizados, para serem usados nos módulo de Pessoas, Produtos e Serviços e Objetos. Estes campos poderão ser criados de acordo com a necessidade de cada cliente, e usados para armazenar informações cujo campos não estão criado no sistema. Os campos personalizados, criados para serem usados nos módulos de Pessoas e Produtos e Serviços, serão usados também para fazer pesquisas nos respectivos módulos. Os campos criados aqui, serão mostrados nos Módulos de Pessoas, Produtos e Serviços e Objetos, em uma Guia para os campos personalizados.

    Acesse o menu Financeiro> Centro de Custos. Neste módulo iremos cadastrar os Centro de Custos da empresa. Centro de custos são unidades dentro de uma organização e geralmente são projetos ou departamentos de uma empresa. É uma maneira eficiente de agrupar despesas e receitas, para uma melhor análise de partes do negócio Vamos imaginar que você seja dono de uma empresa que oferece serviços web. Sua empresa atua em três principais segmentos: publicidade, desenvolvimento web e consultoria em tecnologia. Nesse caso, podemos considerar que sua empresa é composta de três Centros de Custo distintos, que vamos chamar de “Publicidade”, “Desenvolvimento” e “Consultoria”. O sistema permite que seja criado, Centro de Custos, de acordo com a necessidade da empresa. Os centro de custos, criados poderão ser indicado em todos os lançamentos financeiros (Contas a Pagar)

    Fluxo de caixa é uma ferramenta que controla a movimentação financeira (as entradas e saídas de recursos financeiros), em um período determinado, de uma empresa. O fluxo de caixa facilita a gestão de uma empresa no sentido de saber exatamente qual o valor a pagar com as obrigações assumidas, quais os valores a receber e qual será o saldo disponível naquele momento. Denomina-se saldo a diferença entre os recebimentos e os pagamentos. No módulo Fluxo de Caixa, iremos ter uma visão de como estão programados os recebimentos e os pagamentos da empresa. As informações do fluxo de Caixa, vem dos lançamentos, feitos no módulo de Contas a Receber e Contas a Pagar e que estejam em aberto. 

    O Sistema G6 permite seu uso em rede de forma simultânea em diversos computadores, até atingir o limite de créditos que estão disponíveis no arquivo de Habilitação do Sistema. O Sistema G6, inicialmente, possui três (3) créditos, podendo ser adquiridos mais créditos conforme necessidade do cliente. O Sistema G6 funciona na estrutura Cliente/Servidor, sendo o Sistema G6 o Cliente e o Servidor G6 o Servidor. O programa Servidor G6 será instalado uma única vez, somente no computador escolhido para ser o servidor (servidor de dados e processamento), já o Sistema G6, terá que ser instalado em todos os computadores onde será utilizado. Nada impede que o Sistema G6 seja instalado no mesmo computador onde o programa Servidor G6 estiver instalado. 

    Os XMLs serão salvos dentro deste diretório: C:\DigiSat\SuiteG6\Servidor\DFe\CNPJ da Empresa\Enviado. Separados por pastas com a descrição do tipo do documento.

    Siga o procedimento abaixo:

    1. Finalize o sistema G6;
    2. Vai até a pasta C:\DigiSat\SuiteG6\Sistema, encontre  o arquivo DarumaFrameWork.XML;
    3. Edite o arquivo, localize a TAG <ArredondarTruncar>, altere o valor desta TAG de A para T, vai ficar assim: <ArredondarTruncar>T</ArredondarTruncar>
    4. Salve as alterações, poderá abrir o sistema e finalizar a venda;

    Será necessário fazer a instalação do programa vc_redist.x64. Está disponível na pagina da microsoft:

    https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=52685

    Caso permanecer a questão é necessário fazer as atualizações do Windows Update.

    Primeiramente abra o cadastro do emitente no menu Cadastros> Pessoas> digite emitente. 

    Na guia Tipo de cadastro confira se está correto o regime tributário da empresa. 

    Caso a empresa for do regime Simples Nacional vai utilizar CSOSN no cadastro da tributação estadual, se for Simples Nacional-excesso sub-limite receita bruta ou Regime normal, vai utilizar CST no cadastro da tributação estadual.

    Portanto, após verificar o regime da tributário da empresa, vá até o menu Cadastros> Tributação Estaduais> edite a tributação, confira se foi informado corretamente o CST ou CSOSN repassado pela contabilidade. Em seguida, poderá ir até o ponto de vendas e fazer uma nova venda.

    Para configurar o código de barras pesável siga as etapas abaixo: No cadastro do produto:

    1. Não irá indicar nenhum código de barras;
    2. Guia Produtos vai marcar a opção "Pesável(produto de balança)"
    3. Guia ProdutosServiços> unidade de medida, informe UN caso vender em unidade ou KG caso vender por peso;


    No menu Auxiliares> Configurações> Saída> Opções de venda:

    No campo Tipo de informação do código de barras vai escolher a forma que o sistema vai ler a informação do código de barras: Peso com 3 decimais, Preço com 2 decimais ou Preço com 3 decimais; Para identificar qual informação está sendo gerada no código de barras veja a numeração que está saindo na posição 8 até 12, exemplo: 2000001002531. Se for peso com 3 decimais seria 0,253. Se for preço com 3 decimais seria R$0,25. Se for preço com 2 decimais seria R$2,53. 

    No menu Auxiliares> Gerador de Arquivos para Balança:

    1. Informar a Marca da balança etiquetadora e o departamento;
    2. Informe o local onde será salvo o arquivo para depois importa-lo na balança;
    3. Após importar o arquivo gerado do sistema no software da balança, poderá imprimir uma etiqueta para testar no PDV.


    O sistema vai interpretar o código de barras da seguinte forma: Exemplo código de barras 2000001002531.

    1° Digito = 2 - Informa que é um código de barras pesável 2° Até o 7° digito = 000001 - Código interno do produto. Deve conter 6 dígitos com zeros a esquerda. (No software da balança configure o código de interno para 6 dígitos) 8° até 12° digito = 00253 - Representa a quantidade ou preço. 13° digito = 1 - Calculo do digito verificador.

    Para destacar o ICMS na NF-e é necessário utilizar a CSOSN 0900.  As demais CSOSN não contém estrutura no XML para receber essa informação.

    Veja a estrutura das CSOSN na Nota Técnica 2013/005:

    https://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=%20tq7zNwy6jo=

    Para restaurar o banco de dados siga o procedimento abaixo:

    1° Vá até o gerenciador de tarefas> Serviços, pare o serviço MongoDBDigisat e SincronizadorDigisat;

    2° Depois altere o nome da pasta Dados para Dados_old em C:\DigiSat\SuiteG6\Dados. Em seguida crie uma pasta vazia com o nome de Dados;

    3° Inicie o Servidor G6, será criada uma base de dados nova. Depois que terminar, clique no botão Configurações, informe o usuário admin e senha admin.

    4° Na guia backup clique em F9-Restaurar Banco de Dados, indique o caminho onde salvou o arquivo de backup;

    5° Aguarde até aparecer na tela uma mensagem que o backup foi restaurado com sucesso. 

    6° Pronto, backup restaurado, agora poderá abrir o servidor em seguida o sistema.

    Caso estiver configurando o sistema em apenas uma maquina e a mesma não possuir um IP poderá criar um adaptador de rede seguindo os passos abaixo:

    1° Vá até: Gerenciador de dispositivos > Adaptadores de rede > Ação > Adicionar Hardware herdado > Avançar > Instalar o hardware que eu selecionar manualmente em uma lista (avançado) > Adaptadores de rede > Seleciona  Microsoft > Microsoft KM-TEST Loopback Adapter > Avançar até o fim.

    2° Reinicie a maquina;

    3° No CMD digite ip config, será listado o IP que foi criado pelo adaptador, esse IP irá indicar no servidor G6 e no Sistema G6;

    OBS: Esse procedimento serve apenas quando for instalar o sistema em apenas uma maquina, maquinas em rede o servidor vai possuir um IP.

    Primeiramente certifique-se que o usuário e senha que está fazendo o login estão corretos. Por padrão, o login e senha do usuário administrador é admin. 

    Caso estiver correto o usuário e senha faça o procedimento abaixo:

     Vá até o servidor G6, clique em configurações> informe o usuário e senha> Configuração: no campo IP informe o IP desta maquina, não pode ser o 127.0.0.1. Caso tiver dúvidas de qual IP está configurado, acesse o painel de controle> Central de rede e compartilhamento > Alterar as configurações do adaptador > clique com o botão direito do mouse sobre o adaptador de rede que está utilizando > status> detalhes > copie o IP que está escrito no Endereço IPv4. Ou poderá abrir o CMD e digitar IP config, será listado todos os IP da maquina.

     Depois de informado o IP e salvado as configurações, abra o gerenciador de tarefas, na guia serviço encontre SincronizadorDigisat e MongoDBDigisat, clique com o direito do mouse sobre o serviço, clique em parar e depois em iniciar.

     Abra o sistema G6, na tela inicial de login clique em Alterar IP do servidor, indique o mesmo IP que informou no servidor G6. Depois faça o login novamente.

     Caso persistir a mensagem, feche o servidor e sistema G6, pare novamente os serviços SincronizadorDigisat e MongoDBDigisat, depois inicie novamente. Em seguida abra o servidor e depois o sistema G6.  

    OBS: Se for uma estação, verifique se a release do sistema instalado é a mesma do servidor.

    Primeiramente verifique se o usuário tem permissão para acessar o ponto de vendas. Caso tenha, vá até a pasta C:\DigiSat\SuiteG6\Sistema, altere o nome do arquivo ConfiguracaoClient.xml para ConfiguracaoClient_old.xml  depois inicie o sistema novamente.

    Essa mensagem ocorre porque o sistema não consegue comunicar com o servidor G6. Abaixo lista das possíveis causas:

    1. O servidor G6 está fechado;

    2. O IP que está indicado nas configurações da estação não é o mesmo IP da maquina do servidor. Também, verifique nas configurações do servidor G6 se o IP indicado está correto, e diferente de 127.0.0.1.

    3. Firewall do Windows ativado bloqueando as portas 12220-12230. Deve liberar essas portas caso deixar o Firewall ativo. Veja a pergunta frequente 

    4. Anti-vírus bloqueando a comunicação;

    5. Sistema com release diferente ao do servidor. Caso tiver dúvida, baixe a ultima release disponível no site da DigiSat e rode a atualização na estação e servidor;

    6. Serviços MongoDBDigisat e SincronizadorDigisat parados, devem estar iniciados;

    7. Bloqueio na rede, tente acessar o IP do servidor pelo executar do Windows, ou pelo CMD, veja se retorna algum bloqueio. 

    Para liberar as porta 12220-12230 no Firewall do Windows siga os passos abaixo:

    1. Vai até o painel de controle, encontre o Firewall do Windows;

    2. Clique em configurações avançada> Regras de entrada:

    • Nova Regra
    • Marque Porta depois avançar
    • Marque TCP e portas locais especificas, indique 12220-12230, avançar
    • Permitir conexão, avançar
    • Deixe marcado domínio, particular, público, avançar
    • Em nome coloque DigisatG6 e depois Concluir;

    3. Regras de saída, faça o mesmo procedimento acima.

    Pronto, poderá deixar o Firewall ativo que não irá bloquear a comunicação do sistema G6. 

    A mensagem ocorre quando o serviço do mongo DB (MongoDBDigisat) parou de funcionar enquanto estava processando alguma tarefa.

    Se o Windows for 64 bits, vai até o gerenciador de tarefas> serviços, encontre MongoDBDigisat e inicie novamente. Em alguns casos o serviço do MongoDB pode parar caso a maquina tenha pouca memória. 

    Caso o Windows for 32 bits e ocorrer no servidor:

    1. Gere um backup do banco de dados no servidor G6; 

    2. Feche todo o sistema e pare os serviços MongoDBDigisat e Sincronizador;

    3.  Altere o nome da pasta Dados para Dados_old em C:\DigiSat\SuiteG6;

    4. Crie uma pasta nova com o nome Dados em C:\DigiSat\SuiteG6;

    5. Abra C:\DigiSat\SuiteG6\MongoDB e execute como administrador o RemoverMongoDB.bat, em seguida o IniciarMongoDB.bat.

    6.  Abra o servidor G6, será criada uma base de dados nova, após que terminar clique em configurações> backup> F9-restaurar base de dados, indique a base que fez o backup no primeiro passo.

    7. Pronto, verifique se o problema foi resolvido.

    OBS: Não utilizar Windows 32 bits no servidor, pois seu desempenho é inferior ao 64 bits e só gerencia até 3GB de memória.

    Caso o Windows for 32 bits e ocorrer na estação:

    1. Feche todo o sistema e pare os serviços MongoDBDigisat e Sincronizador;

    2.  Altere o nome da pasta Dados para Dados_old em C:\DigiSat\SuiteG6;

    3. Crie uma pasta nova com o nome Dados em C:\DigiSat\SuiteG6;

    4. Vá até a pasta C:\DigiSat\SuiteG6\MongoDB e execute como administrador o RemoverMongoDB.bat, em seguida o IniciarMongoDB.bat.

    5.  Agora poderá abrir o sistema G6.

    Conforme a Nota Técnica (NT2013.005, pág 86) disponibilizada pela Sefaz, existem apenas alguns CFOP que podem ser utilizados na NFC-e, caso estiver utilizando um CFOP diferente da lista abaixo irá retornar a rejeição.

    • 5.101 - Venda de produção do estabelecimento;
    • 5.102 - Venda de mercadoria de terceiros;
    • 5.103 - Venda de produção do estabelecimento efetuada fora do estabelecimento;
    • 5.104 - Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros, efetuada fora do estabelecimento;
    • 5.115 - Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros, recebida anteriormente em consignação mercantil;
    • 5.405 - Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária, na condição de contribuinte substituído;
    • 5.656 - Venda de combustível ou lubrificante de terceiros, destinados a consumidor final;
    • 5.667 - Venda de combustível ou lubrificante a consumidor ou usuário final estabelecido em outra UF;
    • 5.933 - Prestação de serviço tributado pelo ISSQN.

    Para alterar o CFOP, localize o cadastro do produto> tributações> tributação estadual> editar> percentuais estaduais> editar> Não contribuinte> Operação fiscal. 

    Quando for emitida uma NF-e/NFC-e para um cliente Não contribuinte e CST do ICMS diferente da relação abaixo será retornado a rejeição.

    • 00 - Tributada integralmente;
    • 20 - Com redução da Base de Cálculo;
    • 40 - Isenta;
    • 41 - Não tributada;
    • 60 - ICMS cobrado anteriormente por Substituição Tributária.

    Primeiramente é necessário cadastrar uma conta. Vá até o menu Financeiro> Contas. Clique em adicionar, no tipo da conta informe banco, e marque o check box "Emite boleto". Preencha todo o cadastro do banco com as informações repassadas pelo gerente da conta bancária. 

    Poderá gerar uma conta a receber manualmente pelo modulo Contas a Receber> Adicionar. No campo Espécie informe Boleto e no campo Conta informe o banco que cadastrou. Depois que salvar a parcela, marque o check box e clique no botão F10-Boleto para ser gerado.

    Na NF-e, guia pagamento irá indicar a conta que emite o boleto e espécie boleto. Quando concluir a transmissão da NF-e o sistema vai solicitar se deseja imprimir o boleto.

    No ponto de vendas irá indicar a conta que emite boleto, para imprimir o boleto terá que localizar a parcela no contas a receber.

    O arquivo de remessa que irá enviar para o banco está no menu Financeiro> Gerenciador de Boletos. Basta filtrar as remessa com status "Aguardando Remessa", selecionar os boletos e F3-Gerar remessa. Será salvo o arquivo de remessa no diretório que informou no cadastro do banco.

    Para processar o arquivo de retorno do banco no menu Financeiro> Gerenciador de Boletos, F4- Processar retorno. Informe o arquivo de retorno repassado pelo banco. O sistema vai mostrar uma relação dos arquivos importados com o status da importação. Os boleto baixados serão automaticamente quitados no contas a receber.

    Irá encontrar mais detalhes sobre boletos no manual do sistema, pressione F1 dentro do sistema que será exibido o manual completo, busque por Gerenciador de boletos.

    Para utilização do cardápio online siga os passos abaixo:

    1. Faça a instalação do cardápio online utilizando a release  1.0.18100.1  ou superior;
    2. No sistema G6> Cadastros> Cardápio> marque a opção de exibir no cardápio online;
    3. Depois de instalado abra o seu navegador de internet, e digite 127.0.0.1;
    4. Será aberto a pagina do cardápio online, no rodapé da pagina clique em configurar;
    5. Em seguida será aberta a tela de login e senha, entre em contato com o suporte da DigiSat para saber essa informação;
    6. No menu a esquerda, na guia IP servidor, indique o IP onde está o servidor G6 depois gravar;
    7. Estilos, irá indicar qual estilo que a empresa vai usar para demonstrar o seu cardápio.
    8. Na guia empresas informe qual é a empresa que irá utilizar os dados para o cardápio. 
    9. Gerar QR-Code, clicando sobre o QR-Code será aberta a tela para impressão do mesmo. O QR-Code poderá ser colocado sobre a mesa para o consumidor acessar o cardápio.

    Depois de configurado poderá ler o código QR-Code através do seu celular para acessar o cardápio, ou digitar no navegador o IP ou domínio da maquina onde está instalado o cardápio online.

    - Microsoft Windows com suporte ao .Net Framework 4.6 ou superior. 

    - Sistema operacional em 64 Bits para servidor (recomendado).

    - 3GB de espaço disponível no HD.

    - 4GB de memória RAM.

    - Resolução mínima 1024x768.

    - Resolução recomendada 1366x768.

    O erro de recepção é identificado porque a cadeia ICP-Brasil V5, precisa ser atualizada, por mudanças em sua hierarquia. 

    1- Faça o download da Cadeia atualizada em: https://repositorio.serpro.gov.br/docs/icpbrasilv5.crt

    2- Depois executar a cadeia> Clicar em instalar Certificado >Avançar > marcar "Colocar todos os certificados no repositório a seguir"> Procurar > Selecionar "Autoridade de certificação raiz confiáveis"> Ok> concluir.

    Empresas do Simples Nacional deverão utilizam apenas os CSOSN abaixo para venda ao consumidor, caso contrário irá retornar a rejeição : Rejeição - 384 - CSOSN não permitido para a UF. 

    • 102 - Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito;
    • 103 - Isenção do ICMS no Simples Nacional para faixa de receita bruta;
    • 300 - Imune;
    • 400 - Não tributada pelo Simples Nacional;
    • 500 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária (substituído) ou por antecipação;
    • 900 - Outros (a critério da UF); 

    A SEFAZ a partir de Julho/2018 começará a utilizar a versão 4.00 da NF-e/NFC-e e, com isso, passará a utilizar também o Protocolo TLS 1.2 para comunicação. Esta mudança visa garantir maior segurança e estabilidade no processo de transmissão das notas fiscais. O TLS 1.2 só existe no Windows 7 ou superior.

    » A atualização poderá ser executada através da Central de atualizações do próprio Windows ou manualmente através dos links disponíveis pela Microsoft.

    Windows XP e Windows Server 2003: Não possuem o protocolo TLS 1.2, desta forma, não será mais possível transmitir as notas à SEFAZ.
    Windows 7: Possui o Protocolo TLS 1.2, porém só funcionará se tiver a atualização do SP1 (Service Pack 1) e uma segunda atualização específica da Microsoft para a correção de erros.
    Windows Server 2008: Possui o Protocolo TLS 1.2, porém só funcionará se tiver a atualização do SP2 (Service Pack 2) e uma segunda atualização específica da Microsoft para a correção de erros.

    ATENÇÃO:
    Os computadores que utilizam as edições do Windows 7 que não possuem o SP1 (Service Pack 1) e do Windows Server 2008 que não possuem o SP2 (Service Pack 2) e a atualização do TLS 1.2, não vão conseguir transmitir as notas fiscais eletrônicas à Sefaz enquanto não atualizarem o Windows.

    Faça o download dos pacotes das atualizações.
    » KB976932: Windows 7 e Windows Server 2008 R2 Service Pack 1.
    » KB2992611: Atualização de Segurança do Windows 7.
    » KB948465: Windows Server 2008 Service Pack 2.

    Conforme reportado na Nota Técnica 2016/002 esta rejeição ocorre quando o somatório do valor dos pagamentos (id:YA03, tag:vPag) é menor que o total da nota (id:W16, tag: vNF).

    Normalmente ocorre quando está usando um CFOP que gera financeiro e outro que não gera financeiro na mesma nota fiscal. Neste caso o CFOP que não gera financeiro deverá desmarcar a opção "Compõe o total da nota" no menu Cadastros> Operações Fiscais. Depois é necessário indicar o item novamente na NF-e.

    Exceção 1: Esta regra não se aplica para nota fiscal de Ajuste, campo finNFe=3 (id:B25) e para nota fiscal de Devolução finNFe=4 (id:B25).

    Isso pode ocorrer porque o arquivo de habilitação (info.dat) foi trocado, utilizando o info.dat de outra empresa. Neste caso o arquivo ConfiguracaoClient.XML localizado em "C:\DigiSat\SuiteG6\Sistema" ficou vinculado com o emitente do primeira habilitação. Para aparecer o modulo apenas  remova o arquivo ConfiguracaoClient.XML e abra o SistemaG6 novamente.

    Essa mensagem podem ocorrer após uma conversão de banco de dados onde ocorreu algum problema no processo.

    Existem duas soluções:

    1° Rodar a atualização do sistema novamente;

    2° Editar o arquivo mongod.conf localizado em : C:\DigiSat\SuiteG6\MongoDB, e remover o caractere # do arquivo e salvar a alteração.

    Para que os servidores que hospedam os SISTEMAS DIGISAT possam garantir um bom nível de confiabilidade e robustez ao sistema, devem ser observados alguns aspectos, os quais se ignorados podem vir a comprometer a integridade do hardware do servidor e do banco de dados:

    1 – Backup : A empresa deve possuir uma política de backup eficiente. Mesmo que nunca venha a ser usado ele é a garantia de que numa fatalidade os dados possam ser recuperados. E realmente ele é a única salvação em alguns casos, casos estes em que muitas empresas percebem que o ultimo backup realizado data de vinte dias atrás. Os sistemas G6 já possuem backup diário automático. As configurações de backup estão disponíveis no Serviço G6.

    2 – Hardware confiável : O servidor deve ser um hardware confiável. Ele realizará o processamento de todas as estações e é nele que o banco de dados da empresa estará armazenado.

    Não.

    Em estados que exigem o uso de PAF-ECF, esta prática é vedada pelo documento que especifica os requisitos funcionais do aplicativo emissor de cupom fiscal:

    REQUISITO I
    1. O PAF-ECF e o Sistema de Gestão ou de Retaguarda não devem possibilitar ao usuário possuir informação contábil diversa daquela que é, por lei, fornecida à Fazenda Pública, conforme inciso V do art. 2º da Lei 8.137/90.
    REQUISITO V
    6. Não realizar controle contábil ou financeiro referente aos itens contidos no registro de pré-venda, podendo efetuar reserva de mercadoria no controle de estoque.
    REQUISITO VI
    3. Não disponibilizar comandos ou funções que objetivem a autenticação do DAV, bem como não realizar controle contábil ou financeiro referente aos itens contidos neste documento, podendo efetuar reserva de mercadoria no controle de estoque.

    Em estados onde o PAF-ECF não é mais exigido, o que prevalece é o Manual de Boas Práticas da NFC-e:

    19. Não possuir alternativa de controle de vendas sem a emissão de NFC-e. O aplicativo não deve possuir nenhuma funcionalidade que permita controlar vendas sem a emissão de NFC-e ou outro documento fiscal hábil, sob pena de responsabilidade tributária solidária, bem como as civil e criminal

    Fontes
    AC 10/17: https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/atos/2017/ac010_17
    Manual NFC-e: http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=gONQatXTm1U=

Ligue agora mesmo 0800 003 1600